Notícia

Ampliar fonte

Terça-feira, 11 de agosto de 2020

Aldeias Kaingang de Porto Alegre estão recebendo 80 pacotes de frango durante a ação.

Vivemos tempos muito difíceis. Notícias cada vez mais entristecedoras, isolamento social, incerteza financeira, aumento da miséria, ansiedade, angústias. Os impactos da pandemia são enormes e em diversas áreas. No entanto, é possível também enxergar algo de bom nesse momento. Com a Covid-19, surgiu também uma onda de solidariedade. Juntamente com outras entidades, a ADUFRGS-Sindical tem ajudado neste processo, ampliando a campanha de solidariedade para auxiliar as comunidades mais vulneráveis. 

Até o dia 7 de agosto, cerca de 172 mil reais foram revertidos em ações solidárias através da doação de alimentos que totalizaram 1.924 cestas básicas entregues para comunidades carentes, além de kits de higiene, insumos e equipamentos para universidades. Desde o início de abril, o Sindicato também entrega cestas de alimentos e kits de higiene para o Movimento Nacional da População de Rua (MNPR) do RS, que dá suporte a algumas das pessoas mais vulneráveis aos efeitos do coronavírus, por meio de uma parceria solidária com a CoopRua. Cozinheiros do Bem e a Associação dos Moradores da Vila Cruzeiro também estão sendo beneficiados pelas ações solidárias da Central Única dos Trabalhadores do RS.

E as ações da ADUFRGS-Sindical não param por aí. Neste mês de agosto, o sindicato está doando carne de frango para dois grupos indígenas, a aldeia Kaingang Fàg Nhin e a aldeia Kaingang. A primeira é composta por 148 pessoas que serão beneficiadas com 60 pacotes de frango. E, a segunda, receberá 20 pacotes de frango.

Conforme a responsável técnica pela saúde dos povos indígenas da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, Rosa Rosado, “os indígenas tem maior vulnerabilidade às doenças relacionadas às doenças infecto-respiratórias, como a Covid-19. Nessas aldeias, já tivemos um surto registrando 15 casos positivos e acaba de começar um novo surto. Então, esse apoio é muito fundamental no sentido de que os indígenas não necessitem sair da aldeia, pois a maioria das famílias se mantém através da comercialização de artesanatos, e, com a pandemia, não podem sair para comercializar nas feiras e no centro da cidade. As comunidades das aldeias Ore Kupry e Fág Nhin ficaram muitos felizes com a doação de carnes de frangos, pois as cestas básicas que estão recebendo não apresentam fontes proteicas. Além disso, como a quantidade doada não cobre a totalidade das famílias essas estão sendo usadas nos momentos de alimentação coletiva, fortalecendo ainda mais os laços identitários das comunidades.” 

O tesoureiro da ADUFRGS, Eduardo Rolim de Oliveira, afirma que o sindicato está trabalhando em muitas frentes por acreditar que as comunidades mais vulneráveis precisam de estímulo para se organizar socialmente. “Por intermédio da CUT-RS, também estamos apoiando os trabalhadores com menor poder aquisitivo com doações de cestas básicas desde o início da pandemia”, completa. 

Solidariedade com ações da Universidade e Institutos Federais

Além das doações de cestas básicas e carnes, o sindicato também tem auxiliado algumas ações das universidades e Institutos Federais que estão atuando no combate ao novo coronavírus. Desde o início da pandemia, o sindicato adquiriu uma impressora 3D para a UFCSPA, conforme modelo definido pelo Laboratório de Inovação da Universidade, para a impressão de materiais para EPIs (Equipamentos para Proteção Individual). Para a UFRGS, a ADUFRGS atendeu demanda do Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS), que solicitou recursos financeiros para a aquisição de insumos e equipamentos que permitam a realização de testes de Covid-19. O sindicato também já colaborou com a doação de 10 chapas de acrílico para o IFRS produzir peças de máscaras profissionais e caixas de entubação de pacientes em estado grave, entre outras ações.

Como você pode ajudar

Os docentes podem ajudar a ADUFRGS a ampliar o alcance das ações, divulgando a iniciativa e doando cestas da agricultura familiar a quem precisa. Quem quiser ajudar, pode adquirir a cesta no site da Cooperativa GiraSol e mandar entregar na casa de alguém que esteja precisando de ajuda.

Se quiser colaborar com uma quantia em dinheiro, as doações podem ser feitas na conta do sindicato na Cresol (Banco 133), Agência 5014, Conta Corrente 15.825-9, CNPJ 90.757.204/0001-64.